Recife recebe 10ª edição do Virtuosi Brasil

por Redação CONCERTO 05/05/2015

Entre os dias 7 e 10 de maio acontece no Recife a décima edição do Virtuosi Brasil, que se dedica ao trabalho de intérpretes e compositores da música nacional. Todos os concertos são gratuitos e começam às 19h, no Teatro Luiz Mendonça, localizado no Parque Dona Lindu. Quem abre a programação, no dia 7, é o Grupo Pau Brasil, que surgiu no início dos anos 1980 e logo se tornou símbolo da vitalidade e inventividade da música instrumental brasileira, explorando repertórios e sonoridades. Atualmente, o conjunto é formado por Nelson Ayres (piano), Rodolfo Stroeter (baixo), Paulo Bellinati (violão), Teco Cardoso (sopros) e João Fideles (bateria). Eles abrem a apresentação com arranjos das Bachianas brasileiras nº 4 e de A lenda do caboclo, de Villa-Lobos. E, em seguida, interpretam composições próprias, como Caixote e Fogo no baile, de Ayres, O pulo do gato, de Bellinati, e Sarapuindo, de Cardoso.

No dia 8, sobe ao palco um duo de flauta e violão formado por dois dos mais destacados artistas do cenário musical brasileiro em seus instrumentos: Rogério Wolf e Paulo Porto Alegre. A apresentação começa com as Cinco miniaturas de Edmundo Villani-Côrtes, peça escrita em 1978 e que desde então figura entre as mais célebres do compositor, ganhando versões e arranjos para diversos instrumentos. O duo, então, homenageia Radamés Gnatalli, com a Sonatina, obra que é símbolo do interesse do compositor pela flauta. Para encerrar, três peças de Paulo Porto Alegre: Encontro das águas, Sonatina e Sonata.

O Quarteto Carlos Gomes é a atração seguinte, com concerto no dia 9. O grupo é composto pelo violinista e maestro Claudio Cruz (atual diretor da Sinfônica Jovem do Estado), o violinista Adonhiran Reis (professor do Conservatório Brasileiro de Música), o violista Gabriel Marin (spalla da Sinfônica da USP) e o violoncelista Alceu Reis (ex-líder de naipe da Osesp). E, em Recife, eles vão interpretar um programa diversificado, composto pela Sonata para cordas de Carlos Gomes e por uma série de tangos de Astor Piazzolla, como Soledad, Fuga y mistério, Milonga del ángel, Calambre, Invierno porteño e Adiós nonino.

O encerramento do festival é no dia 10, com recital do pianista Cristian Budu que, aos 25 anos, já é um dos mais destacados artistas brasileiros de sua geração, com prêmios importantes no currículo, como o Clara Haskill, vencido em 2013. O programa é aberto com Villa-Lobos, de quem ele interpreta as Impressões seresteiras e Festa no sertão. Em seguida, dois autores centrais na literatura pianística do início do século XX: Debussy (Estampe) e Scriabin (Quatro estudos). Na segunda parte, os 24 prelúdios de Chopin, série de peças que levaram Schumann a se referir ao compositor como “a mais audaciosa alma de poeta de seu tempo” e que integram o primeiro disco do pianista, que o selo Clássicos lança este mês no Brasil.

[Veja mais no Roteiro Musical]

Clássicos Editorial Ltda. © 2015 - Todos os direitos reservados.
A reprodução de todo e qualquer conteúdo requer autorização, exceto trechos com link para a respectiva página.