Semana de Música de Câmara do Rio de Janeiro explora diversidade do repertório

por Redação CONCERTO 21/06/2016

A Cidade das Artes volta a abrigar, de hoje até o dia 26, a Semana Internacional de Música de Câmara do Rio de Janeiro, que chega à sua quinta edição. A direção artística é da pianista Simone Leitão, que atua ao lado de grandes convidados brasileiros e internacionais, em programas que abrem espaço para a participação da voz.

 

A abertura é hoje, quando Simone Leitão, o violinista Daniel Guedes e o Art Metal Quinteto se unem à soprano argentina Mercedes Arcuri, que tem no currículo apresentações no Teatro Real de Madri e no Festival de Aix-en-Provence. O programa começa com a Dança brasileira, de Camargo Guarnieri, e, em seguida, é tocada Marquês de Pombal, de Henrique Alves de Mesquita. Mercedes interpreta, então, canções de Villa-Lobos, Ernesto Lecuona e Alberto Ginastera. Complementa esse passeio pela música latino-americana a Sonata nº 1 para violino e piano – Désespérance, de Villa-Lobos.

No dia 22 apresenta-se o Quarteto Enso, criado na Universidade de Yale em 1999 e, desde então, um dos principais conjuntos de câmara norte-americano. O grupo interpreta quartetos de Haydn e Ginastera e – a pérola do programa – a pouco conhecida Chanson perpétuelle, de Ernest Chausson, escrita para soprano, piano e quarteto de cordas, que terá a participação da soprano Mercedes Arcuri e da pianista Josiane Kervokian.

Um dos aspectos mais interessantes da programação é o modo como os músicos convidados se unem em diferentes formações. É o que acontece no recital do dia 23, quando o Quarteto Enso se junta ao clarinetista português Nuno Pinto e ao violista russo Vladimir Babeshko para tocar Mozart (Quinteto para cordas KV 515), Puccini (Crisantemi) e Brahms (Quinteto para clarinete e cordas op. 115). Algo parecido acontece no dia 24, agora com Karin Fernandes, Babeshko, o violinista Bridget Dolkas, o violoncelista Lars Hoef e o contrabaixista Rodrigo Favaro. No programa, o Trio nº 2 para piano e cordas, de Villa-Lobos, e o Quinteto para piano e cordas de Ralph Vaughan Williams.

A voz volta ao centro do palco no dia 25, às 16h, com participação da soprano Angelica de la Riva, acompanhada do pianista cubano Orlando Alonso e de artistas participantes da semana. Ela interpreta canções de Fauré, Montsalvatge, Lecuona, Granados, Turina, Carlos Gomes e, de Debussy, o ciclo Trois Chansons de Bilitis.

Duas obras-chave do repertório camerístico do século XX são os principais destaques da apresentação noturna do dia 25: o Quarteto de cordas de Maurice Ravel, estreado em 1903, e o Quinteto para piano e cordas em sol menor de Dmitri Shostakovich, peça de 1940. A leitura fica a cargo de Simone Leitão, Nuno Pinto e dos músicos do Quarteto Enso.
 
A Academia Jovem Concertante, projeto que reúne jovens músicos de todo o Brasil, se junta à programação no dia 26. A orquestra abre o concerto com Memória e fado, de Egberto Gismonti, que prevê a participação de uma harmônica solista e conta com o músico José Staneck. Em seguida, Simone Leitão sola no Concerto em ré menor de Bach. Encerra o programa, que tem regência de Daniel Guedes, a Sinfonia nº 29 de Mozart.

O recital de encerramento será realizado no dia 26, na Sala Cecília Meireles, reunindo um time excepcional de solistas: além de Leitão, a violinista Ana Feitosa, o violista Babeshko, a violoncelista Kayami Satomi, o Duo Sá de Percussão e o Duo Bretas-Kervokian de pianos. O programa é especial: começa com a Sonata para dois pianos e percussão, uma das principais obras de Béla Bartók, e se encerra com o Quarteto com piano de Brahms.

[Veja mais no Roteiro Musical]